Capela da Chainça

Dados do Património
Nome: Capela da Chainça

A actual capela de Chaínça é de invocação de Santa Quitéria. Antes desta, existia uma outra, que era de invocação de Santa Teresa. No século XIX, ainda existia o templo dedicado a Santa Teresa. Contudo, não estão clarificadas, ainda, as razões que estiveram na origem da mudança do nome de invocação do templo. Domingos Marques das Neves registou que foi o Padre António Pereira de Oliveira, residente em Loureira, que aconselhou o povo de Chaínça a fazerem uma irmandade em honra de Santa Quitéria, considerada protectora dos animais, após vários episódios em que aquela que seria a futura padroeira interveio para salvar pessoas e animais. Esta informação carece, no entanto, de fundamento científico, pois parece basear-se apenas em aspectos populares, orais.
Em 1864, resolveu edificar-se um novo templo (facto, aliás, característico do século XIX, onde a edificação ou reedificação de inúmeros edifícios religiosos se estendeu a todo o País de antanho). O templo actual, que apresenta, na fachada, a data de 1939, será uma remodelação novecentista. Pela leitura das actas da Junta de Paróquia, datadas do último quartel de Oitocentos, é possível apurar que o adro da capela foi demarcado nessa época, tal como o de São Guilherme, o que pode levar à dedução que o templo anterior ao de Santa Quitéria, ou seja, o de Santa Teresa, pudesse estar, de facto, noutro local. Trata-se, tão-só, de uma hipótese.